Vinho em garrafa Pet?

Para os puristas, amantes de um bom vinho, esta ideia pode parecer um sacrilégio. Afinal, onde já viu engarrafar tão precioso líquido num material tão impuro como o plástico? Além de parecer impossível preservar a qualidade obtida na produção, também parece óbvio que o glamour que naturalmente cerca a bebida se perderia na apresentação de uma embalagem tão banal

Pois o enólogo neozelandês, Peter Yealands, garante que não há qualquer problema com esse tipo de engarrafamento e mais: que este é o futuro desse mercado e um caminho sem volta. Meio Radical né?

Yealands lançou, recentemente, um Sauvignon Blanc batizado de Full Circle, em garrafas PET, sem qualquer rejeição dos consumidores. E, como argumento imbatível para defender sua ideia, além da praticidade, ele resssalta a leveza das garrafas, que resulta numa economia de 85% em comparação com o vidro. Quer mais? Esta é para os ambientalistas ou preocupados com essas questões: o custo do transporte diminui consideravelmente e as emissões de carbono também: são reduzidas a 54%.

Quando a esmola é demais o santo desconfia...

O prazo de validade das garrafas plásticas é curto: em torno de nove meses. O que exige que a produção de vinhos seja consumida com maior velocidade do que habitualmente, incentivando o consumo e exigindo um controle mais rígido sobre a venda nos supermercados, empórios e lojas especializadas. E se essa forna de engarrafamento fosse adotada por qualquer vindíma - incluindo as mais nobres -, isso alteraria uma das práticas comuns entre apreciadores: a de colecionar preciosidades e de manter suas adegas cheias. Com certeza, o mercado se ressentiria.

Dados os prós e contras, será que realmente vale a pena optar pela garrafa PET no engarrafamento do vinho? No caso dos vinhos menos nobres, talvez seja uma boa opção. Mas, e aí? Vc encararia? Sacrificaria o glamour que envolve a degustação de um bom vinho por economia e para salvar o planeta?

1 comentários:

Anônimo disse...
21 de fevereiro de 2010 07:07

Vinho da Nova Zelândia de plástico é mole. Me acorda quando isso acontecer com os italianos, franceses e chilenos, ok?

Xau